História da Fonoaudiologia







A fonoaudiologia é uma área da ciência que tem como meta estudar e pesquisar técnicas e métodos de prevenção e terapia fonoaudiológica, que são desenvolvidas na comunicação oral e escrita, voz, audição e psicomotricidade.

Na década de 60, deu-se início ao ensino da fonoaudiologia no Brasil, com a criação dos cursos da universidade de São Paulo (1961), vinculado a clínica de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina, e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1962), ligado ao Instituto de Psicologia.

Nos anos 70, tiveram início os movimentos pelo reconhecimento dos cursos e da profissão. Foram criados então, os cursos em nível de Bacharelado, e o curso da Universidade de São Paulo foi o primeiro a ter seu funcionamento autorizado, em 1977.

Sancionada, em 09 de dezembro de 1981, pelo então presidente João Figueiredo, a lei n° 6965, que regulamentou a profissão do fonoaudiólogo, veio ao encontro dos sonhos de uma categoria profissional, que ensaiava ser reconhecida. Foi determinada a competência do fonoaudiólogo e foram criados os conselhos federal e regionais de fonoaudiologia, tendo como principal finalidade à fiscalização do exercício profissional.


Em 1984, pela Resolução CFFa n° 010/84 foi aprovado o primeiro Código de Ética da profissão, que elencava os direitos, deveres e responsabilidades do fonoaudiólogo.

O crescimento da profissão, a ampliação do mercado de trabalho do fonoaudiólogo e uma maior conscientização da categoria têm levado os Conselhos de Fonoaudiologia à revisão de toda sua legislação.

A área de atuação da atividade fonoaudiológica é essencialmente clínica e nesta área o profissional atua no campo da Saúde em trabalhos de prevenção, diagnóstico e terapia.

Em atividades clínicas, o fonoaudiólogo pode atuar no campo da Saúde Pública (unidades básicas de saúde, hospitais, centros de referências, etc) e privada (clínicas e consultórios particulares). Pode atuar, também, em indústrias nos programas de controle de ruído ambiental e conservação da audição de trabalhadores expostos a ambientes ruidosos.

A partir da formação clínico-terapêutica, o fonoaudiólogo está capacitado, também, a realizar assessoria em atividades que envolvem a prevenção e o aperfeiçoamento de aspectos ligados às áreas da linguagem, voz e audição. O fonoaudiólogo está apto a avaliar, diagnosticar e tratar os distúrbios de linguagem, voz e audição sejam eles de causa orgânica, funcional ou associada a alguma síndrome.

Em atividade de assessoria, podemos destacar a atuação na área pública e privada da Educação, integrando equipes técnicas de escolas comuns e especiais, pré-escolas e creches, assessorando especificamente a área de aquisição e desenvolvimento da linguagem oral e escrita, e na área do teatro e outros meios de comunicação (TV, rádio, etc), realizando trabalhos de expressão vocal de atores e locutores.

Recentemente o fonoaudiólogo já esta se inserindo em novos campos de trabalho como o de motricidade oral em queimados e em clínicas de estética, realizazndo trabalhos com os músculos faciais.

Ressalta-se que o fonoaudiólogo é um profissional de formação superior e graduação plena. Muitas pessoas pensam que se refere a um professor especializado, o que não é verdade, pois trata-se de um terapeuta, visto que não são abordados somente os aspectos psicopedagógicos mas uma série de dinâmicas e estratégias para alcançar metas que são vivenciadas na prática da terapia fonoaudiólogica.

Cursos e ebooks sobre Fonoaudiologia




Dicas para profissionais
  • 3º Conafono – Disfagia
  • Drive Virtual de Fonoaudiologia
  • Curso online de Fonética e Fonologia

  • Comente:

    Nenhum comentário