Disfagia em Idosos







Considerada de alta prevalência em unidades de emergência, a disfagia é uma alteração na deglutição que pode ocorrer em diferentes fases da vida, especialmente em idosos, podendo trazer sérias consequências à saúde.

Ela pode ocorrer devido a alterações resultantes de doenças neurológicas, como Doença de Parkinson, Acidente Vascular Encefálico (AVE), Doença de Alzheimer e Miastenia Gravis. Também pode resultar de alterações estruturais, em decorrência de tumores e traumas. Quando ocorre simplesmente por modificações inerentes ao processo de envelhecimento, chama-se Presbifagia.

No idoso, a maior parte dos casos  de disfagia é decorrente de doenças neurodegenerativas ( como as demências), sequela de um evento neurológico agudo (como acidente vascular encefálico ou um traumatismo cranioencefálico), uma obstrução ( no caso de câncer de garganta ou de esôfago por exemplo) ou essencialmente da  condição de fragilidade do idoso, com o enfraquecimento da musculatura do esôfago, sem necessariamente estar a associada a uma patologia específica. Medicamentos também podem influenciar, na medida em que os efeitos adversos podem impactar no sistema nervoso e muscular do idoso.  O mecanismo da disfagia é complexo e envolve comprometimento muscular e/ou neurológico.

As complicações decorrentes da disfagia envolvem risco de desnutrição, desidratação, complicações respiratórias e pneumonia aspirativa. Considerando que o momento da refeição deve representar um momento prazeroso, de socialização e interação familiar, a Disfagia também tem impactos sociais e emocionais. Quando engolir se torna um desafio, muitas vezes o idoso pode preferir se isolar, o que pode comprometer o envelhecimento saudável.

Evitar a desnutrição e a desidratação é muito importante. Na internação hospitalar, é fundamental para garantir uma boa recuperação dos pacientes. Por isso, a equipe de fonoaudiólogos atua de forma integrada com a equipe de nutricionistas, adaptando  a alimentação para a nutrição personalizada.

Mas o que fazer quando isso acontecer?

Se estivermos falando de um idoso cognitivamente saudável, deve-se procurar um Fonoaudiólogo. Este profissional da saúde pode ajudar o idoso a aprender a engolir novamente.

Quando estamos falando de um portador de doença degenerativa, o ideal é ter acompanhamento de uma equipe multi-disciplinar de saúde, com médico, fonoaudiólogo e nutricionista.

Conheça os 2 cursos sobre Disfagia que tem o preço de 1!

DISFAGIA II + DISFAGIA I Avaliação e tratamentos em adultos

Curso online com publico alvo, Fonoaudiólogos. Ministrante de referência nacional e internacional no tema. Saiba mais

Qualquer dúvida, entre em contato comigo pelo Whatsapp




Dicas para profissionais
  • 3º Conafono – Disfagia
  • Drive Virtual de Fonoaudiologia
  • Curso online de Fonética e Fonologia

  • Comente:

    Nenhum comentário