Exercícios para melhorar a Dicção






A dicção é a forma com que pronunciamos os sons das palavras, sílabas e letras. É responsável pela perfeição da nossa fala, que, por sua vez, é o elemento mais importante da comunicação.

A maneira como articulamos nossas palavras influencia diretamente no entendimento da mensagem, por isso, quem sofre com problemas de dicção se sente inseguro na posição de orador.

Cursos online de Fonoaudiologia

Melhorar a dicção, para essas pessoas, significa muito mais do que formular um bom discurso: ajuda a desenvolver autoconfiança, melhorando o poder da oratória.

Existem alguns exercícios que ajudam a melhorar a dicção, que podem ser feitos sozinho em casa ou com a ajuda de um fonoaudiólogo.

1. Exercícios para relaxar e fortalecer a musculatura facial

Algumas pessoas têm dificuldade para articular as palavras porque têm os músculos do rosto muito tensos, como é o caso dos lábios, língua e bochechas, que é onde está o músculo bucinador. 

Para relaxar esses músculos, podem-se fazer caretas, bocejos, exercícios de abrir e fechar a boca com a mandíbula solta, deitar a língua para fora e girá-la dentro da boca com os lábios fechados e vibrar os lábios e a língua.

2. Falar com a articulação fechada

Um bom exercício para melhorar a articulação das palavras no dia-a-dia, é falar com a articulação do maxilar fechada. Para isso, deve-se fechar a boca e os dentes e ler um texto de um jornal ou de um livro, movimentando apenas os lábios e a língua. 

3. Falar trava-línguas 

Uma outra forma de melhorar a dicção é falar trava-línguas, como por exemplo:

  • "Num ninho de mafagafos há sete mafagafinhos. Quando a mafagafa gafa, gafam os sete mafagafinhos"
  • "A rua de paralelepípedo é toda paralelepipedada."
  • "Sabendo o que sei e sabendo o que sabes e o que não sabes e o que não sabemos, ambos saberemos se somos sábios, sabidos ou simplesmente saberemos se somos sabedores."

Para treinar estes e outros trava-línguas, o ideal é começar a dizê-los devagar e depois ir aumentando a velocidade, tentando dizer sempre as palavras de forma correta e sem as misturar.

Este exercício também pode ser feito segurando um lápis ou uma rolha entre os dentes.

4. Leitura de vogais

Para ter uma boa dicção é importante respeitar cada som que se emite, com uma atenção especial para as vogais. Para isso, deve-se escolher um texto ou a letra de uma música e fazer a leitura somente das vogais, mantendo a sílaba tônica das palavras:  

"Atirei o pau no gato tô tô 
Mas o gato tô tô 
Não morreu reu re
Dona Chica cá  
Admirou-se s
Do berro, do berro que o gato deu
Miau!" 

De início pode-se começar devagar e depois ir lendo ou cantando cada vez mais rápido e pode-se também ir aumentando o grau de dificuldade dos textos.

5. Gargarejar com água

Ao gargarejar com água ou um elixir oral, é possível trabalhar a faringe, a base da língua e o céu da boca, que são pontos articulatórios usados normalmente. Com este exercício, são também acionados os movimentos do "ão", "cão", "gão", "uma", fazendo com que o som saia mais da parte do fundo da boca, aperfeiçoando a pronúncia das palavras.

Há várias formas de melhorar a pronúncia de palavras, mas não é só a má articulação (dicção) que compromete a sua comunicação. Vários outros fatores podem prejudicar a eficácia do seu discurso.

Com o Curso Online de Fonética e Fonologia, o profissional se moderniza no conhecimento que envolve todo o mecanismo de produção de som, conhece as diferenças entre fonética e fonologia e ainda compreende o funcionamento dos aparelhos usados para as atividades. Clique aqui e saiba mais!




Conteúdos para aprimoramento de estudantes e profissionais na Fonoaudiologia.

Comente:

Nenhum comentário